Foto: Arquivo CBB

Dia 23 de agosto de 1987 é uma data inesquecível para o esporte brasileiro. Este dia ficou marcado na história como uma das vitórias mais épicas. Na ocasião, a seleção brasileira de basquete masculino conquistou o Pan-Americano de 1987 ao bater a temida seleção dos Estados Unidos em seus domínios por 120 a 115. Diante de um público de 16.048 torcedores presentes, a medalha de ouro da seleção foi conquistada no Market Square Arena, em Indianápolis.

Três jundiaienses fizeram parte desta inesquecível equipe: os irmãos Marcel e Maury e o pivô André Stoffel. Marcel, ao lado de Oscar, foi o protagonista daquela final. Ele anotou 31 pontos na decisão. Oscar foi o cestinha com 46.

A equipe dos EUA era formada pelos melhores jogadores que ainda não eram profissionais. No elenco estavam futuros jogadores da NBA: Dan Majerle, Danny Manning e David Robinson, este último havia sido escolhido no Draft da liga americana pelo San Antonio Spurs e integraria o Dream Team nos Jogos Olímpicos de Barcelona, na Espanha, em 1992.

Foto: Arquivo CBB

“Lutamos contra o impossível e vencemos o invencível. Depois daquele dia passei a acreditar que posso fazer qualquer coisa na vida. Foi um divisor de águias para nós e para o basquete norte-americano”, disse Marcel em recente entrevista.

No Pan de Indianápolis, o Brasil teve seis vitórias e apenas uma derrota. Venceu Uruguai, Porto Rico, Ilhas Virgens, Venezuela, México e os Estados Unidos. O único revés aconteceu para o Canadá. Na decisão, a Seleção do técnico Ary Vidal quebrou uma série de marcas: foi a primeira vez que os americanos perderam um jogo de basquete em casa; primeira vez que foi derrotada em uma final no basquete; primeira vez que sofreu mais de 100 pontos diante do seu torcedor; além da perda de uma invencibilidade de 34 partidas oficiais.

Campanha do Brasil 
Brasil 110 x 79 Uruguai
Brasil 100 x 99 Porto Rico
Brasil 103 x 98 Ilhas Virgens
Brasil 88 x 91 Canadá
Brasil 131 x 84 Venezuela
Brasil 137 x 116 México
Brasil 120 x 115 Estados Unidos

Delegação do Brasil 
André Ernesto Stoffel (11pts), Gerson Victalino (62), Israel Machado Campello Andrade (78), João José Vianna “Pipoka” (23), Jorge Guerra “Guerrinha (55), Marcel Ramon Ponikwar de Souza (187), Maury Ponikwar de Souza (12), Oscar Daniel Bezerra Schmidt (249), Paulo Villas Boas de Almeida (47), Ricardo Cardoso Guimarães “Cadum” (47), Rolando Ferreira Junior (12) e Sílvio Malvezi (6). Técnico: Ary Ventura Vidal. Assistente Técnico: José Medalha.

Classificação final 
1º- Brasil; 2º- Estados Unidos; 3º- Porto Rico; 4º- México; 5º- Canadá; 6º- Panamá; 7º- Uruguai; 8º- Venezuela; 9º- Argentina; 10º- Ilhas Virgens.